Precisamos disso! Conheça os vasos autoirrigáveis

0
1452

Marca participa do maior evento de paisagismo e flores do Sul do Brasil com dois estandes, apresentando produto que dispensa pratinhos e facilita cultivo de plantas e hortas urbanas

Responsável por desenvolver de forma pioneira no mercado brasileiro um produto patenteado que traz praticidade, segurança e higiene ao cultivo de jardins e hortas urbanas e ainda embeleza a casa com o verde da natureza e com as vibrantes cores em que está disponível, a Raiz apresenta seus vasos autoirrigáveis no Festival da Primavera 2016, que acontece de 16 a 25 de setembro em Nova Petrópolis (RS). A empresa exibe no maior evento de paisagismo e flores do Sul do país toda sua linha de produtos, com destaque para a linha Gourmet, que personaliza o cultivo de ervas aromáticas e pimentas.

Participando do festival pela segunda vez, nesta edição a marca contará com dois espaços, um para demonstrar e outro para comercializar os vasos junto ao público. A ambientação dos estandes se inspirou em referências industriais, demonstrando que o projeto apresentado durante o evento pode ser facilmente adaptado para pequenos espaços como sacadas, varandas, quiosques e terraços, independentemente da área. A tendência do paisagismo comestível é outra referência, utilizando, além de chás e temperos, Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANCs), como a Ora-pro-nóbis e a Capuchinha. O estande da Raiz traz, ainda, plantas não convencionais na ornamentação, como repolho ornamental e batata doce.

 

Perfeitos para organizar uma horta em casa, os vasos da linha gourmet têm 14cm de altura por 16 cm de largura e vêm com identificação das principais ervas aromáticas utilizadas para temperar e dar mais sabor aos alimentos, como alecrim, orégano, sálvia, manjericão, salsa, cebolinha e hortelã. Estão disponíveis nas cores branca ou preta. Já os de pimenta são na cor vermelha e identificam as variedades malagueta, biquinho, jalapeño e cayenne. Todos acompanham substrato na quantidade proporcional do vaso, para plantio. Há também a opção do kit coleção de pimentas que, além dos quatro vasinhos, acompanha conteúdo exclusivo sobre cultivo e utilização de pimentas na culinária, sementes, substrato ideal para o plantio e kit de miniferramentas.

O sistema interno de irrigação dos Vasos Autoirrigáveis Raiz permite à planta absorver apenas a água de que precisa, eliminando a necessidade dos tradicionais pratinhos e o inconveniente da água escorrendo na hora de regar, facilitando a montagem e manutenção de hortas urbanas e jardins internos e externos, verticais ou horizontais.

A economia de água é outra vantagem do produto, já que o reservatório e o sistema de autoirrigação fazem com que a planta absorva apenas a água necessária, sem desperdícios, evitando também o problema de esquecer de regar ou de aguar demais. Em mais de 10 opções de cores e quatro tamanhos diferentes (95x109mm, 114x126mm, 143x160mm e 190x217mm), os Vasos Autoirrigáveis Raiz permitem infinitas combinações e compõem com a decoração dos ambientes.

 

No Festival da Primavera, realizado nos mil m² da Rua Coberta conectada à Praça das Flores, além dos dois estandes a Raiz participa da ambientação do espaço da Universidade Feevale. O evento, considerado o maior em paisagismo e flores do Sul do Brasil, não tem cobrança de ingresso e fica aberto ao público diariamente das 8h30min às 19h.

Como funciona o sistema de autoirrigação dos vasos Raiz

O vaso possui um sistema de capilaridade composto por cordões, que funcionam como uma espécie de raiz artificial. O reservatório de água é acoplado na parte debaixo do vaso, garantindo umidade para a terra por vários dias sem a necessidade de regar. O reservatório do vaso é fechado e traz um filtro e uma tampa no local destinado à reposição de água, afastando a possibilidade do mosquito transmissor de doenças como a dengue, febre chikungunya, zika vírus e febre amarela depositar suas larvas e se reproduzir, assim como outras espécies de insetos.

Conheça as PANCs

Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANCs) são alimentos em geral esquecidos, que caíram em desuso ou que nunca foram para a mesa. São plantas nativas que tiveram seu consumo negligenciado, como Ora-pro-nóbis, Capuchinha, Cúrcuma, Jambu e Flor-de-ipê. Estudos têm mostrado sua qualidade nutricional, já que fornecem nutrientes dificilmente encontrados nos alimentos que costumamos ingerir. Além disso, dispensam o uso de fertilizantes químicos e agrotóxicos na produção e quase não exigem cuidados no cultivo. Elas representam a biodiversidade, enriquecem os pratos e resgatam uma cultura, valorizando a produção e o consumo local. E podem ser cultivadas nos vasos autoirrigáveis, no quintal da casa ou dentro do apartamento.

Compartilhe:

Deixar um comentário

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu e-amil